ABANDONADO PELO DEM NA VÉSPERA DE UMA GRANDE DERROTA, MAIA AMEAÇA COM IMPEACHMENT DE BOLSONARO

Se alguma dúvida restava sobre o favoritismo de Arthur Lira (PP/AL) na disputa pela presidência da Câmara dos Deputados, o deputado Rodrigo Maia (DEM/RJ) e o seu partido, o Democratas, acabam de sepultá-la.

Em pleno domingo da véspera da eleição para as mesas diretoras da Câmara dos Deputados e do Senado Federal,  o Democratas (DEM) negou apoio a Baleia Rossi (MDB/SP), candidato ungido por Maia para sucedê-lo na presidência da Casa.

A direção executiva nacional do partido reuniu-se ontem (31/01), e deliberou pela neutralidade da legenda, deixando os deputados livres para votar em quem quiserem, num contexto em que a maioria parlamentares do DEM já havia sinalizado apoio a Arthur Lira (PP-AL).

Rodrigo Maia (DEM-RJ) soube da decisão do partido num jantar na sua casa, no qual foi comunicado da decisão por ACM Neto.

Analistas avaliam que o PSDB e o Solidariedade tendem a adotar a mesma posição para evitarem o isolamento das posições na direção da Câmara por se oporem a cada vez mais provável vencedor. PT, PCdoB e PSB testemunharam o episódio como comensais do convescote demista.

A derrota para Maia e Baleia Rossi adquire maior dimensão no contexto da batalha para a confirmação dos blocos partidários cuja formação garante posições estratégicas na mesa diretora da Câmara, mesmo para os derrotados. O desembarque do DEM e do PSDB do bloco articulado por Maia, portanto, confirma o favoritismo de Arthur Lira e desidrata sobremaneira a candidatura de Rossi e sua aliança com a esquerda. Partidos de esquerda que apoiam Rossi tentaram a adesão do PSOL ao bloco, mas também fracassaram.

Contrariado com a puxada de tapete, Maia ameaçou deixar o partido e aceitar um pedido de impeachment contra o presidente Bolsonaro em seu último dia no cargo, o que, se confirmado, demarcaria em grande estilo a derrocada e o início da decadência acelerada de uma figura política que jamais teve a estatura necessária para ocupar o cargo que até hoje ocupou.

Paulo Moura
Paulo Moura
dextrajornalismo@gmail.com
Sem Comentários

Postar Um Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.