AMOÊDO CRITICA BANCADA DO NOVO POR VOTAR CONTRA PRISÃO DE DANIEL SILVEIRA

A bancada federal do Partido Novo, composta de 8 deputados, votou por unanimidade contra a prisão do deputado Daniel Silveira (PSL/RJ), em sentido contrário à maioria do plenário que definiu-se pela prisão do parlamentar numa proporção de 364 votos a favor e 130 contra seu encarceramento.

Para surpresa de ninguém, João Amoêdo alinhou-se com a esquerda e veio a público reclamar da posição adotada pelos deputados do partido cuja criação ele financiou.  E arrematou defendendo que o Novo vá para a oposição ao governo Bolsonaro: “Discordo do voto da bancada que foi contra a manutenção da prisão do deputado bolsonarista”. “É decepcionante, também, que o partido não seja oposição ao desgoverno que temos hoje”, prosseguiu Amoêdo, que foi um dos candidatos à presidência em 2018. “Não era esse o papel que imaginávamos para o Novo quando da sua fundação”, postou Amoêdo em seu Twitter Twitter.

Levou o troco

Os deputados Marcel van Hattem e Alexis Fontayne rebateram, também pelo Twitter o ataque de Amoêdo. Marcel  defendeu que a bancada do partido tem independência, e defende a Constituição e os valores liberais” “[Não somos] nem fanáticos a favor nem fanáticos contra”. Marcel buscou, ainda, mostrar o isolamento de Amoêdo e suas posições em geral contrárias aos outros 180 fundadores da legenda.

Já o deputado Alexis Fontayne foi mais duro: ” Você virou uma calopsita que só fica papagueando mas não propõe absolutamente nada. Oposição sem proposição. Vai contra os valore do Novo, se acha salvador do partido e do Brasil e defende uma liberdade seletiva, a sua. É um antilíder, que divide o partido ao invés de unir.”

As diferenças entre o Novo e seu criador não são novidade, mas nunca chegaram a esse tom, que bota no radar uma possível ruptura entre Amoêdo e o partido.

Paulo Moura
Paulo Moura
dextrajornalismo@gmail.com
Sem Comentários

Postar Um Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.