ANVISA AUTORIZOU IMPORTAÇÃO DE 2 MILHÕES DE DOSES DA VACINA DE OXFORD E FIOCRUZ DEVE PEDIR LIBERAÇÃO DE USO EMERGENCIAL ESSE SAMANA

A Anvisa autorizou, na semana passada, a importação em caráter excepcional de 2 milhões de doses da vacina de Oxford fabricada na Índia. A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que fabrica a vacina no Brasil e solicitou a importação para vacinação emergencial, se reúne hoje (04/01) às 10:00 com a Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Ministério da Saúde acredita que nesta reunião  ocorrerá o primeiro pedido de uso emergencial de vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford sob financiamento d laboratório AstraZeneca.

 

No prazo de dez dias a Anvisa deve dar a resposta positiva ao pedido, dando início à vacinação no Brasil.

A vacina de Oxford requer aplicação de duas doses para imunização eficaz dos vacinados. O governo deve usar toda carga da importação em janeiro, tendo como público alvo profissionais da saúde e grupos de risco, como ocorre em todo o mundo.

A Fiocruz confirmou em nota oficial emitida ontem (03/01), que fará o pedido nesta semana: “A estratégia é contribuir com o início da vacinação, ainda em janeiro, com as doses importadas, de acordo com o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, e, ao mesmo tempo, dar início à produção, conforme cronograma já amplamente divulgado. “Com a incorporação da tecnologia concluída, a Fiocruz terá a capacidade de produzir mais 110 milhões ao longo do segundo semestre de 2021. Dessa forma, a Fiocruz reafirma seu compromisso com a saúde pública e com o Sistema Único de Saúde (SUS)”.

O prazo para a solicitação do registro definitivo da vacina foi definido para para 15/01, com previsão de 110 milhões de doses até o mês de julho para uso do Plano Nacional de Vacinação.

Paulo Moura
Paulo Moura
dextrajornalismo@gmail.com
Sem Comentários

Postar Um Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.