APÓS GOOGLE PLAY, APPLE BANIU PARLER DA APP STORE EM NOVA FRENTE DE CENSURA AOS CONSERVADORES

Seguindo o exemplo do Google que já havia banido o Parler da Google Play, a Apple anunciou na noite de ontem (09/01) que também removeu o Parler da App Store. Google Play é a loja de aplicativos para o sistema Android do Google, assim com a App Store é a loja de aplicativos para dispositivos com sistema iOS.

O Parler nasceu se apresentando como uma rede social “sem censura” ante a crescente onda de pressão das big techs de mídia social para remoção de conteúdos conservadores e cancelamento de seus produtores de suas redes sociais.

A nova mídia ganhou notoriedade e uma onda de adesões depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump aderiu a ela e divulgou sua escolha, e ganhou novo impulso de adesão após o Twitter bani-lo permanentemente, e o Facebook e o Instagram  suspende-lo temporariamente.

Após o anúncio do Facebook de que unificará o acesso aos dados dos usuários do Whatsapp com os do Facebook de modo a permitir acesso a esse dados aos seus usuários empresariais, e que os usuários do app que não aderirem às novas regras não poderão mais usar o aplicativo, constatou-se nova onda de adesão ao Parler e ao Telegram no Brasil.

Saiba mais: 

TWITTER BANIU TRUMP PARA SEMPRE

FUSÃO DE DADOS DO WHATSPP COM FACEBOOK PROVOCA NOVA ONDA DE MIGRAÇÃO DE ATIVISTAS PARA O TELEGRAM E O PARLER

A Apple manifestou-se em nota, justificando a suspensão sob a alegação de que o Parler não adota medidas de controle e remoção de conteúdos:

Nós sempre apoiamos que os diversos pontos de vistas estivessem representados na App Store, mas não há espaço em nossa plataforma para ameaças de violência e atividades ilegais. O Parler não tomou as medidas adequadas para evitar a proliferação dessas ameaças e segurança dos usuários. Suspendemos o Parler da App Store até que eles resolvam essas pendências“.

A pressão sobre Apple e Google, ocorreu após a ocupação doo Capitólio, a sede do Congresso americano, por apoiadores do presidente Trump, na quarta-feira, dia 07/01.

Na sexta-feira, 08/01, a Apple enviou um ultimato ao Parler intimando-a a adotar os mesmos métodos de censura das outras big techs de mídia social sob pena de banimento. Insatisfeita com a resposta do Parler, a Apple respondeu da seguinte forma:

Obrigado pela resposta a respeito de conteúdo ofensivo e perigoso no Parler. Nós avaliamos que as medidas descritas por vocês são inadequadas para evitar a proliferação de conteúdo ofensivo no seu app. Parler não demonstrou seu compromisso em moderar e remover conteúdos que encorajam a violência e atividades ilegais, e isso não está de acordo com os princípios da App Store“. (Fonte: site The Verge). 

Rapidamente os usuários do Parler passaram a divulgar outra forma de baixar o Parler em mensagem que circula nos grupos conservadores com o seguinte conteúdo e link: Aprenda a instalar o Parler pelo site do próprio Parler!
Compartilhe!
https://t.co/cZxLRue1pv

Dextra.jor.br está no Parler em @DextrabyPauloMoura.

 

Paulo Moura
Paulo Moura
dextrajornalismo@gmail.com
Sem Comentários

Postar Um Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.