GOVERNO CHINÊS APROVA VACINA DA ESTATAL SINOPHARFM EM DETRIMENTO DA CORONAVAC

Sinovac e Sinopharm são nomes de diferentes laboratórios chinesas que estão produzindo vacinas contra o Covid19. O Sinovac é mais conhecido no Brasil, devido ao convênio estabelecido pelo governo Doria entre o laboratório privado chinês e o Instituto Butantan para oferecer a Coronavac no país, em sua ânsia de se apresentar como portador da cura para a pandemia dentro do seu esforço de marketing para viabilizar sua candidatura presidencial em 2022 contra o presidente Bolsonaro.

Os planos do governador Doria, no entanto, não vão bem. A apresentação dos documentos necessários à aprovação da vacina pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) haviam sido incialmente marcados para 15 de dezembro, depois adiados para 23 de dezembro, e novamente adiados para 15 de janeiro próximo.

Saiba mais: SINOVAC AINDA NÃO TEM DADOS SOBRE EFICÁCIA DA VACINA CHINESA QUE DÓRIA QUER COMEÇAR A USAR

CORONAVAC NÃO ATINGE 90% DE EFICÁCIA NO BRASIL, MAS DORIA SE ESCONDE DA MÁ NOTÍCIA

DESCONFIANÇA DA VACINA CHINESA ATINGE 50% DOS BRASILEIROS, DIZ DATAFOLHA

CHEFE DA FABRICANTE DA VACINA CHINESA SUBORNOU AGÊNCIA REGULADORA

Vazaram para imprensa informações de que a vacina Sinovac/Butantan, na etapa brasileira da pesquisa, apresentou eficácia de cerca de 50%, a mais baixa dentre os imunizantes ofertados no mercado mundial, e, inclusive, com dados conflitantes com as pesquisas desenvolvidas pelo laboratório chinês em convênio com a Turquia.

Não é de todo despropositado imaginar que essa discrepância explique a razão de a vacina da Sinovac não ter sido aprovada ainda nem na China. Essa constatação ganha reforço ante o fato de que o governo da China acaba de aprovar a primeira vacina contra o Covid-19 para uso geral do país. A escolha recaiu sobre a alternativa do laboratório estatal Sinopharm, que utiliza a mesma tecnologia se seu concorrente chinês, mas apresentou 79,34% de eficácia nas pesquisas clínicas.

A vacina do laboratório Sinopharm já vinha sendo usada em caráter emergencial no país, agora se consolidou como a  população.

Paulo Moura
dextrajornalismo@gmail.com
Sem Comentários

Postar Um Comentário

8 + quinze =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.