JUIZA AUTORIZA GOOGLE A EXCLUIR TERÇA LIVRE DO YOUTUBE

O canal conservador Terça Livre no YouTube foi retirado novamente do ar, desta vez por determinação da  juíza da 8ª Vara Cível da Comarca de São Paulo, Ana Carolina de Almeida, que determinou a remoção. A defesa do jornalista Allan dos Santos vai recorrer. O canal Terça Livre já havia sido tirado do ar em fevereiro deste ano sob acusação de violar as diretrizes do YouTube, mas voltou ao ar mediante decisão liminar da Justiça.

Na interpretação da juíza que impôs a remoção do canal, a exclusão do canal se justifica porque houve veiculação de um discurso do ex-presidente Trump cujo título era “Trump rompe silencio após ser censurado”, no qual o conteúdo incitaria a violência em vez de informar.

Segundo a decisão de ontem (15/07, da juíza: “A ação da ré em encerrar o canal do requerente não é ato ilícito, tampouco, atentado contra o direito à liberdade de expressão do autor.. Trata-se, na realidade, de exercício de pleno direito. Como já supra exposto, pode a ré impor balizas ao comportamento dos usuários de suas plataformas”.

Saiba Mais: A NOVA CENSURA

Ontem à noite, Allan dos Santos publicou um vídeo nas suas outras redes sociais pedindo apoio aos seguidores e informou: “Uma juíza de São Paulo derrubou a liminar do tribunal de São Paulo. Isso mesmo que você ouviu. Uma juíza derrubou a decisão de um tribunal e o Terça Livre pode ser derrubado do YouTube a qualquer momento.”

Dextra se solidariza com o canal Terça Livre na luta pela liberdade e contra a censura.

Paulo Moura
dextrajornalismo@gmail.com
Sem Comentários

Postar Um Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.