MPF ABRE INVESTIGAÇÃO CONTRA O TWITTER POR CENSURA A POST DO MINISTÉRIO DA SAÚDE

O Twitter praticou censura ao ocultar um post do Ministério da Saúde (MS) que defendia o tratamento precoce contra a covid-19, estimulando as pessoas a procurarem atendimento médico aos primeiros sinais de contágio pelo coronavírus.

A mensagem do MS foi marcada com uma tarja contendo aviso de o post conteria “informação enganosa”. O Twitter alega que suas regras foram violadas.

Em função do ocorrido, o Ministério Público Federal (MPF) vai investigar a prática de censura por parte do Twitter com o objetivo é verificar “ações ou omissões ilícitas” Big Tech de mídia social.

O procurador responsável pela investigação é Ailton Benedito que defende a investigação dizendo, na ação, que: “Não cabendo às plataformas ou provedores de aplicações, por atos próprios, criar obstáculos de qualquer natureza ao fluxo de informações” (sobre questões envolvendo políticas públicas de saúde).

O MPF definiu o prazo de cinco dias para o Twitter encaminhar os fundamentos fáticos e jurídicos que levaram a rede social a classificar a postagem de “enganosa”.

Paulo Moura
Paulo Moura
dextrajornalismo@gmail.com
Sem Comentários

Postar Um Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.