VACINA DE OXFORD SERÁ CERTIFICADA ANTES DA VACINA CHINESA PELA ANVISA

Fachada do edifício sede da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A vacina de Oxford, produzida no Brasil pela Fiocruz, receberá a certificação para usos emergencial da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) antes da vacina chinesa.

Fiocruz e Instituto Butantan pediram o registro no mesmo dia, ontem (08/01), mas a documentação da vacina de Oxford, que é financiada pelo laboratório inglês AstraZeneca já vinha repassando informações sobre a pesquisa e desenvolvimento do seu imunizante, ao passo que a Sinovac chinesa apresentou os documentos em bloco nessa sexta-feira.

Além disso, o laboratório Astrazeneca já obteve aprovação de pedidos de uso emergencial de sua vacina em outros países – Inglaterra e Argentina. A Coronavac, por sua vez, somente teve uso aprovado na China, apenas com base nos estudos da fase 2. A legislação brasileira exige que vacinas tenham superado a fase 3 de testes para sua liberação.

O Instituto Butantan adiou várias vezes a entrega da documentação. Incialmente foi anunciada a data de 15/12 para entrega dos documentos sobre a eficácia da vacina chinesa. Depois essa data foi adiada para 23/12. Finalmente o Butantan anunciou que apresentaria os dados e solicitação de uso emergencial na quinta-feira (07/01). No entanto, a documentação foi entregue apenas na manhã de 08/01.

Leia também:

VACINA CHINESA TEM 78% DE EFICÁCIA

ADIADA ENTREGA DOS DADOS SOBRE EFICÁCIA DA VACINA CHINESA DEVIDO À INCERTEZA DOS CIENTISTAS

DESCONFIANÇA DA VACINA CHINESA ATINGE 50% DOS BRASILEIROS, DIZ DATAFOLHA

Além desses problemas, a documentação entregue está incompleta, pois faltam dados sobre efeitos colaterais e informações sobre subgrupos específicos de voluntários pesquisados. Outra explicação pendente diz respeito à forma com O Butantan chegou ao cálculo de 78% de eficácia do imunizante chinês. Enquanto esses dados não forem entregues à Anvisa, a tramitação do pedido permanece paralisada. Os procedimentos sobre cerificação e liberação de vacinas obedecem padrão internacional.

(com informações CNN)

 

 

Paulo Moura
Paulo Moura
dextrajornalismo@gmail.com
Sem Comentários

Postar Um Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.