VACINAS EM USO NA NORUEGA CAUSAM 13 MORTES EM IDOSOS

Laboratório de Pesquisa em Saúde

A Agência Norueguesa de Medicamentos, equivalente deles à Anvisa, informou no dia 14/01, o registro de 29 casos  de efeitos colaterais (21 mulheres e 8 homens), 13 dos quais fatais entre pessoas vacinadas no país. Os treze óbitos vitimaram pacientes acima de 80 anos de idade que viviam em lares de idosos.
Nove dos pacientes que apresentaram efeitos colaterais sérios tiveram reações alérgicas, forte desconforto e febre intensa. Dentre os efeitos colaterais menos graves registraram-se dor forte no local da injeção.
Em função dessas ocorrências o governo norueguês atualizou as orientações sobre o público-alvo da vacinação contra a covid-19. No país, a partir de agora, cabe a cada médico decidir quem deve ser vacinado.
Dentre os efeitos colaterais registrados, foram constatados febre e náusea que “podem ter levado às mortes desses pacientes já fragilizados”, informou Sigurd Hortemo da agência norueguesa de medicina.
Desde o final de dezembro, mais de 30 mil pessoas já receberam a primeira dose das vacinas da Pfizer ou Moderna, que são os laboratórios fornecedores das vacinas em uso no país desde dezembro.
Segundo Steinar Madsen, diretor médico da agência declarou que: “Não estamos alarmados com isso. É bastante claro que essas vacinas têm muito pouco risco, com uma pequena exceção para os pacientes mais frágeis. (…) Os médicos devem agora considerar cuidadosamente quem deve ser vacinado. Aqueles que são muito frágeis ou têm uma idade muito avançada podem ser vacinados após uma minuciosa avaliação”. (…) “Para pacientes muito frágeis e pacientes terminais, é necessário avaliar o cuidadoso equilíbrio entre os benefícios e as desvantagens da vacinação.”
No entendimento do Instituto Norueguês de Saúde Pública: “qualquer um dos, eventuais, efeitos colaterais da vacina serão compensados por um risco reduzido de ser contaminado pela forma mais grave da Covid-19”.
No Reino Unido de nos EUA, também houve registro de efeitos colaterais graves e caos de óbito como consequência da aplicação dessas vacinas.

Vacinas em vias de aprovação no Brasil

Até o momento não há pedidos de registro das vacinas da Pfizer e da Moderna no Brasil. As vacinas da Oxford, produzida no Brasil pela Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz) e a Coronavac, fabricada no Brasil pelo Instituto Butantan, estão em fase de aprovação para uso emergencial pela Anvisa nesse domingo (17/01).
(com informações da Correio Braziliense)
Paulo Moura
Paulo Moura
dextrajornalismo@gmail.com
1 Comentário
  • Avatar
    B. Dutra
    Postado em 09:59h, 19 janeiro Responder

    Uma fase difícil da humanidade. Egos e cobiças impedem união de esforços para o bem geral, então surgem guerra das vacinas, das comunicações, a verdade desaparece.

Postar Um Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.