CIENTISTAS CONTESTAM ÍNDICE DE EFICÁCIA DE VACINA CHINESA DIVULGADO PELO BUTANTAN

Governador de São Paulo João Doria e a vacina chinesa.

Segundo informações do site Poder360, cientistas estão contestando o índice de eficácia da vacina chinesa divulgado pelo Instituto de Butantan. Na entrevista coletiva da quinta-feira (07/01), os representantes do instituto paulista divulgaram a taxa de eficácia de 78%.

Na exibição pública dos dados o governo paulista afirmou que os dados representam “a prova mais dura no mundo para uma vacina contra a covid-19 e o estudo mais detalhado já apresentado”.

(Clique aqui para ler a íntegra 517 KB).

Não foi informado o número exato de casos de covid-19 registrados em cada grupo de voluntários (os que tomaram a CoronaVac e os que tomaram placebo). Conforme matéria publicada mais cedo aqui no Dextra, a Anvisa alega que a documentação necessária à aprovação da vacina está incompleta.

Saiba mais: VACINA DE OXFORD SERÁ CERTIFICADA ANTES DA VACINA CHINESA PELA ANVISA

Segundo declarou Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, no anúncio da eficácia no dia 08/01, foram 218 casos de infecção pela covid-19 entre os voluntários, sendo “cerca de 160” no grupo que recebeu o placebo e “pouco menos de 60” entre os vacinados.

Pesquisadores têm contestado os dados do Instituto Butantan sobre a eficácia da Coronavac. Segundo o site Poder360, o professor Stefano de Leo, da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), declarou ser possível calcular a eficácia global a partir dos números apresentados, considerando-se que metade dos voluntários tenha tomado o placebo, o que, segundo o pesquisador, “é provável” que tenha ocorrido.

Se o raciocínio do professor está correto, “a eficácia é calculada a partir de uma equação em que se subtrai de 1 a razão entre o número de pessoas infectadas que tomaram vacina e o número de pessoas infectadas que tomaram o placebo. O resultado é multiplicado por 100” informa o Poder360.

Recorrendo a as estatísticas citadas pelo próprio Dimas Covas na divulgação do índice de eficácia global da CoronaVac, o número a que se chega seria de 63,75%, portanto, mais de 14 pontos percentuais abaixo do índice de 78% apresentado pelo governo paulista.

O Instituto Butantan não divulgou a eficácia global da vacina, índice que leva em conta todo o grupo de voluntários infectados, independentemente da necessidade de assistência médica.

(com informações Poder360)

Paulo Moura
Paulo Moura
dextrajornalismo@gmail.com
Sem Comentários

Postar Um Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.