GOVERNO QUER DESONERAR DO INSS EMPREGO COM SALÁRIO MÍNIMO

Ministro da Economia, Paulo Guedes

O governo está propondo zerar a alíquota previdenciária patronal do empregado que recebe salário mínimo. Se a proposta for aprovada, o empregador, que hoje paga 20% ao INSS por um empregado que recebe o salário mínimo, atual de R$ 1.045,ficará livre dessa despesa caso a proposta do ministro Paulo Guedes seja aprovada.

Com essa medida, a alíquota do INSS sobre empregados que recebem mais do que um salário mínimo seria reduzida de 20% para 15%. O objetivo do governo é baratear a contratação de trabalhadores nas faixas salariais mais baixas estimulando a contratação.

A tese defendida pelo ministro Guedes é de que o novo imposto a ser criado substituirá o valor do INSS que hoje encarece a folha de pagamento, portanto, não se estaria criando uma elevação de imposto, defende a equipe econômica.

Simplificando os impostos

A proposta de simplificação do sistema tributário do governo baseia-se na criação da Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS). A CBS unificaria o PIS e a Cofins e teria uma alíquota de 12%. A avaliação dos especialistas é de que haverá uma elevação da carga tributária sobre o setor de serviços caso a proposta seja aprovada.

A  indústria  faz aquisição de insumos que geram créditos tributários. Já o setor de serviços não tem essa possibilidade e seria onerado com a simplificação tributária. Paulo Guedes afirma que o imposto sobre transações digitais, que os especialistas afirmam ser um nova CPMF, traria o benefício de simplificar o sistema tributário.

Paulo Moura
Paulo Moura
dextrajornalismo@gmail.com
Sem Comentários

Postar Um Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.