“NÃO É HORA DE SERMOS TÃO CIENTISTAS”, DISSE O SECRETÁRIO DA SAÚDE DE DORIA

A retórica da defesa da Ciência como critério para justificar quarentenas, lockdowns, uso de máscaras, obrigatoriedade de vacinação, e para seleção de conteúdos que “podem” ou “não podem” ser publicados nas mídias sociais adquiriu centralidade nas falas de jornalistas da mídia tradicional e adversários políticos das pessoas que estão preocupadas com a supressão de liberdades e com a rapidez com que se está impondo a vacinação à população com imunizantes produzidos às pressas.

O governador Doria, de São Paulo, tem sido um dos principais políticos brasileiros a encher a boca com esse argumento para criticar o presidente Bolsonaro e seus apoiadores, que questionam as posições de quem ameaça liberdades e impõem restrições a quem não quiser inocular vacinas feitas de forma apressada em seus corpos.

Exatamente por essa razão, surpreendeu, para não dizer chocou, a opinião pública, ouvir o até então respeitado médico e secretário da Saúde do governo Doria afirmar com todas as letras, numa entrevista a TV Record, a frase que dá título a essa matéria: “Não é hora de sermos tão cientistas”, respondeu Jean Gorinchteyn quando inquirido pelo entrevistador sobre a rejeição de parte dos documentos enviados pelo Instituto Butantan e o pedido de mais informações por parte da Anvisa para liberar o pedido de uso emergencial da vacina chinesa produzida em parceria com o laboratório Sinovac.

O Instituo Butantan é uma renomada instituição cientifica, reconhecida pela sua excelência na produção de vacinas e soros para curar pessoas envenenadas por picadas de cobras e aranhas. Algo estranho, no entanto, parece se passar nos bastidores da instituição no que diz respeito à produção da Coronavac.

Sob visível pressão política para correr na frente do governo federal e atender o interesse do governador Doria em oferecer um imunizante e impor sua compra e uso em todo o país, os pesquisadores do instituto parecem estar sendo levados a atropelar as boas práticas do método científico, produzindo uma sequência de trapalhadas cujo resultado será exatamente o contrário do esperado pelo governador marqueteiro de São Paulo, João Doria.

Entre a ciência e o cargo, parece que o secretario de Doria fez sua escolha.

Acompanhe a sequência de trapalhadas do Instituto Butantan nos seguintes links das matérias produzidas por Dextra sobre o assunto:

Saiba mais:

ANVISA REJEITOU PARTE DOS DOCUMENTOS DO BUTATAN SOBRE A VACINA CHINESA, DIZ JORNAL

CIENTISTAS CONTESTAM ÍNDICE DE EFICÁCIA DE VACINA CHINESA DIVULGADO PELO BUTANTAN

VACINA DE OXFORD SERÁ CERTIFICADA ANTES DA VACINA CHINESA PELA ANVISA

 

Paulo Moura
Paulo Moura
dextrajornalismo@gmail.com
Sem Comentários

Postar Um Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.